desenvolvimento rural

zonas vulneráveis

Zonas Vulneráveis Designadas

Na Região Agrária da Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro estavam designadas duas zonas vulneráveis:

  • Zona vulnerável n.º 2 do aquífero quaternário de Aveiro, criada pela Portaria n.º 1100/2004, de 3 de Setembro, com uma área de 4.527,89 ha;
  • Zona vulnerável n.º 4 de Mira, Vagos e Cantanhede criada pela Portaria n.º 1100/2004, de 3 de Setembro, com uma área de 2.402,89 ha.
Mapa das zonas vulneráveis de Aveiro

Para estas zonas foi estabelecido um Plano de Acção através das Portarias n.º 557/2003, de 14 de Julho e n.º 617/2003, de 22 de Julho, respectivamente.
No mês de Fevereiro de 2010, os Planos de Acção para estas zonas foram alterados pela Portaria n.º 83/2010, de 10 de Fevereiro.
No mês de Março de 2010, através da Portaria n.º 164/2010 de 16 de Março, são designadas as novas/reformuladas zonas vulneráveis Nacionais.


 

Sendo então criadas as zonas:

Zonas vulneráveis de Portugal

A portaria n.º 259/12, de 28 de agosto, veio estabelecer um Programa de Ação para as Zonas Vulneráveis em Portugal Continental.

 

Características das Zonas Vulneráveis

Zona Vulnerável de Estarreja-Murtosa
Área Superfície total de 81,38 km2.
Concelhos Integra parte dos concelhos de Estarreja e de Murtosa.
Sistema Aquífero Quaternário de Aveiro
Declives Integra-se na zona da região da Beira Litoral caracterizada por um relevo predominantemente plano ou quase plano a suave (99,39%).
Sistemas Agrícolas predominantes Parcelas de pequena dimensão orientadas para a produção de forragens associadas à produção pecuária de leite.
Pressão Agro-Pecuária Com relevância para os bovinos de leite.
Solos dominantes As manchas de solos predominantes correspondem aos solos hidromórficos sem horizonte eluvial (fluvissolos) seguindo-se na mesma proporção os podzóis hidromórficos, podzóis não hidromórficos e os solos salinos (fluvissolos) e em menor percentagem os solos orgânicos hidromórficos (histossolos) e os aluviosolos modernos (fluvissolos).
Precipitação (1) A precipitação média anual observada na estação de Estarreja é de 1119,7 mm repartindo-se por um período chuvoso, de outubro a fevereiro, que coincide com a estação fria (com 63,4% da precipitação média anual) e por um período seco, de abril a setembro, (com 36,6 % da precipitação média anual) na época quente.
Temperatura (1) A temperatura média anual situa-se nos 14,7º C, apresentando uma variação regular ao longo do ano, atingindo os valores médios mensais mínimo e máximo respectivamente em dezembro (9,5º C) e em julho (20º C).
(1)Fonte: Instituto de Meteorologia, I. P., Normais Climatológicas, 1971 -2000

 

Zona Vulnerável do Litoral Centro
Área Superfície total de 23,36 km2.
Concelhos Integra parte dos concelhos de Aveiro, Vagos, Mira e Cantanhede
Sistema Aquífero Quaternário de Aveiro
Declives Integra-se na zona litoral da região da Beira Litoral caracterizada por um relevo predominantemente plano e suave (87,13%), variando a restante área de moderado a acentuado.
Sistemas Agrícolas predominantes Parcelas de pequena dimensão orientadas para a produção de hortícolas e forragens associadas à produção pecuária de leite.
Pressão Agro-Pecuária Com relevância para os bovinos de leite.
Solos dominantes As manchas de solos predominantes correspondem aos podzóis não hidromórficos (40%), seguindo-se os podzóis hidromórficos e em menor percentagem mas na mesma proporção os solos mediterrâneos pardos (luvissolos), os solos hidromórficos sem horizonte eluvial (fluvissolos) e os solos litólicos húmicos (cambissolos).
Precipitação (1) A precipitação média anual observada na estação de Dunas e Mira é de 881,6mm, repartindo-se por um período chuvoso, de outubro a fevereiro, que coincide com a estação fria (com 64% da precipitação média anual) e por um período seco, de março a setembro (com 36% da precipitação média anual) na época quente.
Temperatura (1) A temperatura média anual situa-se nos 14,1º C, apresentando uma variação regular ao longo do ano, atingindo os valores médios mensais mínimo e máximo respectivamente em janeiro (9º C) e em agosto (18,9º C).
(1)Fonte: Instituto de Meteorologia, I. P., Normais Climatológicas, 1971 -2000