desenvolvimento rural

Aproveitamentos hidroagrícolas

Açafal

Apresentação

O aproveitamento hidroagrícola do Açafal localiza-se a cerca de 4 km a Norte de Vila Velha de Ródão, nas imediações da povoação de Tostão, freguesia e concelho de Vila Velha de Ródão, distrito de Castelo Branco. A barragem e a maior parte das manchas a regar situam-se ao longo da ribeira do Açafal. As restantes áreas beneficiadas localizam-se ao longo das ribeiras do Coxerro e Lucriz.

A ribeira do Açafal, que tem como afluentes as ribeiras do Coxerro e Lucriz, é por sua vez um afluente da margem direita do Rio Tejo, fazendo parte da sua bacia hidrográfica.

A finalidade do aproveitamento é o abastecimento da água necessária para a satisfação das necessidades culturais previstas, com base nas disponibilidades hídricas superficiais da bacia hidrográfica dominada pela secção da barragem. Integram o aproveitamento, uma barragem em aterro construída na ribeira do Açafal, uma rede de rega constituída por dois blocos, Açafal e Lucriz, uma rede viária, e um sistema de drenagem.

A construção do Aproveitamento Hidroagrícola do Açafal foi da responsabilidade da ex-Direcção Regional de Agricultura da Beira Interior, actualmente integrada na Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro.

Caracterização edafo-climática

Solos

Sob o ponto de vista geológico a área do aproveitamento está incluída no denominado Complexo Xisto-Grauváquico Ante-Ordovícico, constituído por bancadas alternantes de xistos e grauvaques com orientação geral NW-SE. Mais concretamente, na zona da barragem e para norte desta a área é caracterizada essencialmente pela ocorrência de xistos. Para sul do local da barragem, na área regada, ocorrem rochas detríticas constituídas por grãos de quartzo e feldspato. No fundo do vale da ribeira do Açafal ocorrem aluviões.

Imediatamente a seguir ao local da barragem, no início do perímetro, o fundo do vale tem uma largura reduzida. Para jusante, o vale alarga, atingindo cerca de 750 m de largura no limite da área regada.

Os solos existentes na área envolvente da barragem e respectiva albufeira são essencialmente derivados do substrato rochoso xistoso, apresentando uma acidez relativamente elevada, e uma espessura muito reduzida. A sua capacidade de uso agrícola é muito reduzida, apresentando na sua maior parte apenas aptidão florestal.

Na planície aluvial da ribeira do Açafal, os solos apresentam boa aptidão agrícola, encontram-se incluídos na Reserva Agrícola Nacional, e constituem o Bloco do Açafal.

Clima

Devido à orientação das serras das Talhadas e do Perdigão (NW-SE), situadas a cerca de 3 km a sudoeste da barragem, verifica-se que contribuem para uma situação de abrigo da área do aproveitamento, face aos fluxos provenientes de Sudoeste. Desta situação resulta um clima continental, temperado (temperatura média anual rondando os 16ºC), seco (humidade do ar às 9 horas inferior a 75%) e moderadamente chuvoso (precipitação anual média de 790 mm).

Os Invernos são frescos, observando-se anualmente, em média, temperaturas inferiores a 0ºC em cerca de 22 dias, descendo a temperatura mínima absoluta para valores da ordem de -5º C.

Os Verões são quentes, ocorrendo anualmente, em média, temperaturas inferiores a 25ºC em cerca de 110 dias, atingindo por vezes a temperatura máxima absoluta de 40º C.

A precipitação anual média é de 790 mm, concentrando-se no período de Outubro a Maio. O mês mais chuvoso é Janeiro (127 mm), verificando-se menores valores no mês de Julho (5 mm em média).

Os rumos dos ventos mais frequentes são Nordeste e Oeste com velocidades médias da ordem dos 8 km/h.

Os nevoeiros ocorrem sobretudo nos meses do Outono, Inverno e Primavera.

A geada verifica-se em média em 45 dias por ano, sobretudo no vale a jusante do local da barragem e durante os meses mais frios.

Considerando como evapotranspiração o processo através do qual a água armazenada no solo e nas plantas é transferida para a atmosfera, e aplicando o método de “Penman modificado”, método utilizado para estimar a evapotranspiração de referência na elaboração dos estudos realizados pela HIDROPROJECTO, a evapotranspiração média anual é de 1.543,2 mm. O mês em que se regista uma evapotranspiração mais elevada é Agosto com um valor médio de 208,86 mm, enquanto que o mês com menor evapotranspiração é Novembro com um valor médio de 55,8 mm

Os valores anuais médios de radiação e insolação e das restantes variáveis climáticas referidas, são favoráveis ao bom desenvolvimento das culturas de Primavera/Verão desde que se verifique a satisfação das necessidades de água das culturas com os meios actualmente disponíveis.

Infra-estruturas colectivas

O empreendimento é constituído por uma barragem e respectivos órgãos anexos localizada na ribeira do Açafal, aproximadamente a 4 km a Norte de Vila Velha de Ródão, nas imediações da povoação do Tostão. A barragem cria uma albufeira para armazenamento de água e regularização dos caudais da ribeira do Açafal.

A barragem é de perfil zonado, com cerca de 26 m de altura acima do terreno natural.

O coroamento, à cota 116 m, tem um desenvolvimento de 121 m.

A barragem com a água ao nível de pleno armazenamento (NPA), cria uma albufeira com um volume útil de 1,553 x 106 m3, inundando uma área 20 ha.

O descarregador de cheias desenvolve-se na encosta da margem esquerda. É um descarregador com soleira de controlo em labirinto e estrutura de dissipação de energia em salto de esqui.

A tomada de água é constituída por uma torre de secção circular, com diâmetro interior de 2,00 m, com duas aberturas de tomada de água equipadas com comportas de corrediça. O acesso à torre é feito através de um passadiço.

A rede inicia-se a jusante da barragem do Açafal, onde se faz a transição de diâmetro e material do tubo proveniente da barragem, em aço, para o de ferro fundido. A conduta principal, em ferro fundido com diâmetro de 800 mm e uma extensão de 2.688,40 m, desenvolve-se numa orientação preponderantemente norte-sul, no início da zona central da área agrícola, e depois inflectindo para sudeste e fazendo o resto do percurso junto ao caminho rural. O troço final desta conduta é em PVC, com diâmetro a variar de 400 até 160 mm.

Da conduta principal partem ramais secundários, em PVC, com diâmetros entre 400 e 110 mm e classe de pressão 6kg/cm2. Muitos deles abrangem uma única unidade de rega, caso em que têm no seu início uma válvula de seccionamento e limitador caudal. Vários ramais cruzam as linhas de água existentes, estando devidamente protegidos.

Junto ao caminho rural, nas proximidades da antiga fábrica de cerâmica, existe uma ligação à estação de bombagem que alimenta o Bloco do Lucriz.

A estação elevatória é constituída por dois conjuntos de bombagem. Cada um deles apresenta uma potência de 45 kw, altura manométrica de 37 m.c.a., debitando um caudal de 270 m3/h.

A ligação entre a estação elevatória e o Bloco do Lucriz, é assegurada por uma conduta em PVC com um diâmetro de 400 mm e uma extensão de 1,7 km.

A rede está equipada com tomadas de água (hidrantes), equipamentos de segurança e purga (ventosas, válvulas de descarga e antiarietes), e equipamento de controlo (válvulas de seccionamento e limitadores de caudal).

Em todo o Bloco do Açafal foi melhorada a rede de drenagem tendo-se procedido à abertura, limpeza e regularização de diversas valas de secção variável numa extensão de 5,2 km.

O acesso à barragem é garantido por um caminho rural (3,5 km), que se desenvolve pela zona central do Bloco do Açafal, com início na E.N. 18. A partir deste caminho existe uma rede de caminhos agrícolas (4,8 km) que permitem o acesso à restante área do Bloco do Açafal. O Bloco do Lucriz é servido por caminhos já existentes.

Gestão e exploração

A Junta de Agricultores do Regadio do Açafal é a entidade responsável pela gestão e exploração do aproveitamento, seguindo actualmente o “Regulamento n.º 01/2010 de 27 de Fevereiro”, aprovado pela Assembleia de Agricultores do regadio do Açafal a 27 de Fevereiro de 2010, conforme consta na Acta n.º 2.

A Junta de Agricultores tem garantido a gestão e a exploração do aproveitamento com o apoio do Município de Vila Velha de Ródão e da Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro – DRAP Centro.

1. Localização

DRAP Centro
Distrito: Castelo Branco
Concelho: Vila Velha de Ródão
Freguesia: Vila Velha de Ródão
Região Hidrográfica: RH 5
Bacia Hidrográfica: Tejo
Linha de Água: Ribeira do Açafal
Carta Militar: 303 e 314
Latitude: 39º 41’ 14,68’’ N
Longitude: 7º 39’ 25,74’’ O

2. Dados Gerais

Promotor: Direcção Regional de Agricultura da Beira Interior
Projectista: HIDROPROJECTO – Engenharia e Gestão S.A.
Construtor: Consórcio: - SOARES DA COSTA S.A. e
- CONSTRUÇÕES ANTÓNIO JOAQUIM MAURÍCIO, LDA.
Ano de Projecto: 1998
Objectivo: Rega
Ano de conclusão: 2003
Área do regadio: 350 ha
N.º de Beneficiários:50
Ocupação cultural: Milho, sorgo, feijão frade, olival e prados
Origem da água: Superficial
Área da bacia hidrográfica: 46,5 km2
Precipitação média anual: 784 mm
Afluências médias anuais: 10.557,3 x 103 m3
Caudal de dimensionamento: 189 m3/s
Período de retorno: 1000 anos
Fornecimento de água às explorações:

- Bloco do Açafal: Baixa pressão (gravítica)
- Bloco do Lucriz: Baixa pressão


Gestão: Junta de Agricultores do Regadio do Açafal
Sistema tarifário: Por Quotas

3. Infra-estruturas existentes

Barragem:
- Tipo: Aterro com perfil zonado
- Altura máxima acima do nível da fundação: 29,90 m
- Altura acima do terreno natural: 26 m
- Cota do coroamento: 116 m
- Comprimento do coroamento: 121 m
- Largura do coroamento: 7,5 m
- Inclinação do paramento de montante: 1/2,7 (V/H)
- Inclinação do paramento de jusante: 1/2,2 (V/H)
- N.º de banquetas: 1 (cota = 106,00 m; largura = 2,00 m)
- Volume do corpo da barragem: 138,178 x 103 m3

Albufeira:
- Área inundada: 20 ha
- Capacidade (NPA): 1,790 x 106 m3
- Capacidade útil (NPA): 1,553 x 106 m3
- Volume morto: 0,237 x 106 m3
- Nível de Pleno Armazenamento (NPA): 112,60 m
- Nível de Máxima Cheia (NMC): 114,75 m
- Nível mínimo de exploração (Nme): 100,00 m

Descarga de fundo e tomada de água:
- Localização: Central, na zona do antigo leito da ribeira.
- Tipo: Torre em betão seguida de conduta sob o terreno. O circuito da Descarga de Fundo é comum ao da Tomada de Água até à derivação para o sistema de rega (by-pass). Deste ponto para jusante a conduta da descarga de fundo prolonga-se por um convergente e um pequeno trecho com 350 mm de diâmetro, terminando com uma válvula de jacto oco. A derivação para a rede de rega está equipada com uma válvula de borboleta DN 600 PN 10.
- Diâmetro interior da torre: 2,00 m
- Diâmetro da conduta: 700 mm
- Caudal máximo: 1,5 m3/s
- Controlo a montante: 2 comportas de corrediça
- Controle a jusante da descarga de fundo: Válvula de jacto oco DN 350
- Controle a jusante da tomada de água: Válvula de borboleta DN 600 PN 10

Descarregador de cheias:
- Localização: Margem esquerda
- Tipo de soleira: Em labirinto
- Tipo de controlo: Sem controlo
- Tipo de descarregador: Canal de encosta
- Cota da crista da soleira: 112,60 m
- Desenvolvimento da soleira: 47,30 m
- Caudal de dimensionamento: 189 m3/s
- Período de retorno: 1000 anos
- Caudal de ponta de cheia afluente: 191,5 m3/s
- Canal de descarga em betão com secção rectangular
- Dissipação de energia: Salto de esqui

Rede de rega:
- Área a regar: 350 ha
- Caudal de projecto: 0,41 m3/s (início da rede)
- Caudal específico: 1,9 l/s.ha
- Caudal de maneio mínimo: 15 l/s

Bloco do Açafal
- Rede de Rega:
- Material: FF (Ferro Fundido)
- Extensão: 2,7 km
- Diâmetro: 800 mm
- Material: PVC
- Extensão: 5,4 km
- Diâmetro: 400 a 110 mm
- Área a regar: 240 ha
- Unidades de rega: 23
- Bocas de rega (Hidrantes): 45

Bloco do Lucriz
Conduta Elevatória:
- Material: PVC
- Extensão: 1,7 km
- Diâmetro: 400 mm
- Grupos electrobomba: 2
- Caudal - Q: 270 m3/h
- Altura manométrica - Hm: 37 m.c.a
- Potência: 45 kw
- Área a regar: 110 ha

Açafal - Area regada

Rede Viária:
- Caminho Rural: 3,5 km
- Caminhos Agrícolas: 4,8 km

Rede de Drenagem:
- Abertura, limpeza e regularização de valas de secção variável:
- Extensão: 5,2 km