drap centro

estação de avisos da bairrada

1.Historial

A Estação de Avisos da Bairrada iniciou a actividade no ano de 1970 na então denominada Estação Vitivinícola da Beira Litoral.
Inicialmente, a área geográfica estendia-se de Vila da Feira a Soure e do mar até à zona montanhosa, a Leste.

À semelhança do que se tem passado em outras Regiões, a sua actividade começou com a cultura da vinha, tendo esta, desde sempre, grande importância económica na Região.

Em 1970 e 1971 fazem-se os primeiros estudos e ensaios respeitantes à biologia do míldio da videira e traça da uva. Em 1972 são emitidas as primeiras circulares indicando aos agricultores, entretanto inscritos, as datas mais oportunas para a realização dos tratamentos fitossanitários da videira. O número de inscrições foi aumentando, sendo 1.500 os agricultores que em 1998 utilizaram este Serviço.

Em 1972 começou a Estação de Avisos da Bairrada a aconselhar os agricultores em relação a outras Pragas da videira - oídio, traça, pulgão, etc.

Em 1975 ensaia-se nesta E. A. , pela primeira vez em Portugal, a previsão em relação ao míldio da batateira. A área da cultura da batata estende-se praticamente por toda a região, com predominância na zona das Gafanhas (Aveiro) e concelho de Oliveira do Bairro.

A área dedicada à cultura da batata ultrapassa 20.000 hectares. Um único tratamento que não se realize, representa 100.000 contos de economia. É importante, mas devemos ainda entender que os tratamentos preconizados, por mais oportunos, conseguem evitar estragos provocados pelo PHYTOPHTORA INFESTANS .

A partir de 1978 a Estação de Avisos da Bairrada passou a abranger também as culturas das Pomóideas, com importância económica a sul e norte da Região. Assim, são emitidas circulares para tratamentos contra os pedrados, bichado e aranhiço vermelho daquelas fruteiras.

Para a campanha de 1999 dar-se-à início à emissão de Avisos para a cultura da oliveira.

Ao abrigo do Programa Nacional de Olivicultura propomo-nos emitir Avisos para os concelhos de Coimbra, Condeixa, Soure, Penela e Miranda do Corvo.

 

2. Objectivos da Estação de Avisos e Importância Económica e Ecológica da mesma

A falta de conhecimentos técnicos dos agricultores leva-os, muitas vezes, ao uso indiscriminado de pesticidas.

O número de tratamentos anti-míldio aconselhados é sempre inferior ao habitual na Região. Em alguns anos, com três tratamentos conseguiram-se evitar estragos provocados pelo míldio.

É importante referir que cada tratamento fitossanitário, na Bairrada, custa acima dos 150 mil contos.

Se atendermos a que os vitivinicultores inscritos fazem, por ano, menos três a quatro tratamentos relativamente aos não inscritos, facilmente se depreende que há uma economia média / ano da ordem dos 500 mil contos.

 

3. Rede Meteorológica

  • Rede meteorológica da Bairrada

O trabalho que a Estação de Avisos da Bairrada desenvolve, para permitir a emissão de circulares aos agricultores, baseia-se nos registos meteorológicos diários.

Os registos meteorológicos são obtidos a partir de uma rede de postos instalados entre Salréu (Estarreja) a norte, e Soure a sul. A partir destes, obtém-se a temperatura máxima e mínima do ar, a humidade relativa e a precipitação.

Atendendo às distâncias que separam os vários postos meteorológicos, muniu-se a E. A. de colaboradores - denominados observadores meteorológicos - que diariamente canalizam toda a informação via postal dos C. T. T.

Os "observadores meteorológicos" auferem mensalmente um pequeno subsídio pelo trabalho executado, bem como pela cedência do espaço ocupado pelo posto meteorológico.

Actualmente, a rede inclui três estações meteorológicas automáticas equipadas com sistema G. S. M. para transmissão dos registos meteorológicos.

 

Elaborado pelo Geógrafo
António Francisco M. M. Ferreira
Técnico Superior